Descartar corretamente cada material é importante para o meio ambiente

A imagem mostra cinco lixeiras coloridas, utilizadas para descartar corretamente os resíduos reciclados. Da esquerda para a direita, há uma lixeira em tom azul-claro, destinada para o descarte de papel; ao lado dela está uma lixeira vermelha, destinada aos resíduos plásticos, em seguida, há uma lixeira bege, usada para o descarte do lixo orgânico; por fim, há uma lixeira em tom verde-escuro, usada para descartar materiais não reciclados. Também é possível ver as mãos de uma pessoa branca. Com a mão esquerda, ela pressiona a alavanca que abre a lixeira vermelha. A mão direita da pessoa leva uma embalagem plástica ao interior da lixeira.

Descartar corretamente todo o lixo que geramos diariamente é um hábito essencial para evitar grandes problemas socioambientais, como a poluição de ruas e rios.

Como é o caso das embalagens de plástico, vidro e metal, que podem ser descartadas corretamente e reaproveitadas, evitando também que não acumulem a água da chuva.

Por isso, reciclar também é uma prática que ajuda a combater a proliferação de doenças, como a dengue.

Assim, os diversos tipos de reciclagem existentes permitem que você contribua diariamente com o meio ambiente.

Quer saber como? Separamos as principais diferenças entre os tipos de reciclagem. Confira a seguir!

O que é reciclagem?

Reciclagem é um processo que transforma materiais como o papel, plástico, metal e vidro em novos produtos.

Ao separar corretamente esses resíduos, eles não são descartados em aterros sanitários e podem ser reaproveitados para outros fins. Assim, é possível reduzir a quantidade de lixo que produzimos diariamente.

A reutilização desses materiais pode ser realizada em todo o produto ou apenas em parte dele.

Muitas vezes, esse processo transforma o material em algo totalmente diferente do original. Dessa forma, uma garrafa PET pode ser reaproveitada para criar embalagens de produtos de beleza.

Porém, também é possível que um material mantenha o mesmo uso. Nesses casos, o processo de reciclagem é adotado apenas para recuperá-lo e deixá-lo em boas condições de uso novamente.

Deste modo, produtos fabricados com materiais como plástico, metal, vidro e papel podem retornar à cadeia produtiva, evitando uma nova produção e reduzindo o gasto dos recursos naturais.

Reciclagem e coleta seletiva no Brasil

O ato de reciclar reduz, de forma importante, o impacto sobre o meio ambiente: moderando as retiradas de matéria-prima da natureza e gerando economia de água e energia.

Além disso, a prática diminui o descarte inadequado do lixo.

Entre os anos de 2010 e 2019, o Brasil registrou, em média, 79 milhões de toneladas por ano de resíduos sólidos urbanos.

Boa parte desses resíduos é jogada, sem qualquer tratamento ou tipo de reciclagem, em lixões a céu aberto – resultando em prejuízo econômico e ambiental.

Segundo o Panorama dos Resíduos Sólidos no Brasil – Edição 2020, dos 5.570 municípios brasileiros, apenas 4.070 apresentavam algum tipo de atividade de coleta seletiva em 2019.

Porém, vale lembrar que em muitos municípios onde há coleta seletiva, a atividade não se estende por toda a área urbana e, assim, é realizada apenas em uma parte.

Mesmo que o cenário atual de reciclagem no país já mostre alguns avanços, ainda há urgência em tornar a transformação dos materiais mais comum.

Tipos de reciclagem

Para cada material, existe um tipo de reciclagem e recomendações específicas que guiam a separação correta dos resíduos.

Para te ajudar, abordamos os principais pontos para se atentar na hora de descartar papel, vidro, plástico e metal.

Na foto, é possível ver quatro lixeiras em um jardim, ambas para separar os tipos de reciclagem. Elas estão lado a lado, em uma fila. Da direita para a esquerda, está a lixeira amarela, a azul, vermelha e verde. Ao fundo é possível enxergar um parque infantil.
As cores das lixeiras para coleta seletiva ajudam na hora selecionar corretamente os materiais de cada um dos tipos de reciclagem.

Papel

Dentre os cestos coloridos usados para separar os recicláveis, o papel deve ser descartado nas lixeiras azuis. Porém, nem todo produto com essa matéria-prima pode ser reutilizado, sabia?

Podem ser reciclados os papéis comumente utilizados em escritórios, livros, revistas, caixas de papelão e jornais que estejam em boas condições.

Estes não podem estar molhados ou sujos com comidas ou desejos de animais.

E na lista de papéis que não podem ser reutilizados estão os papéis com manchas de gordura ou sujeira, papel higiênico, lenços de papel e guardanapos.

Vidro

O vidro deve ser descartado na lixeira verde, destinada a materiais recicláveis.

Porém, antes de separar esse material, você deve tomar alguns cuidados, pois ele pode cortar a mão da pessoa responsável pela coleta e separação.

Por isso, se o vidro estiver quebrado, é necessário enrolá-lo em um papel grosso.

Uma dica para evitar possíveis acidentes é deixar uma anotação com o seguinte alerta: “cuidado, objeto cortante” ou “vidro quebrado”.

E se o material estiver inteiro, basta colocá-lo na lixeira de reciclados correta.

Na lista de vidros que podem ser reciclados estão garrafas, potes de conserva, frascos e copos sem restos de alimentos.

As ampolas de remédios, espelhos, cristais, cerâmicas, porcelanas, vidros temperados, vidros de automóveis e de janelas, telas de computadores e TVs não podem ser reciclados.

Plástico

Os resíduos plásticos devem ser descartados nas lixeiras vermelhas. Um grande diferencial desse tipo de material é que a maior parte desses resíduos pode ser reciclada.

Garrafas PET, potes, copos, sacolas, brinquedos, canos, entre outros, são materiais que podem ganhar uma nova origem se descartados corretamente e reciclados.

Entretanto, não é possível reciclar acrílicos, cabos de panela, tomadas e produtos eletrônicos. 

Metal

Na lixeira amarela, você deve descartar apenas os metais. Assim como os outros materiais, também há uma série de objetos metálicos que não podem ser reciclados.

Você pode separar diariamente latinhas de alumínio, embalagens alimentícias e tampas de garrafas.

Na maioria das vezes também é possível reciclar ou reutilizar metais ferrosos e não ferrosos, como ferro, aço, alumínio, cobre, chumbo etc.

Porém, não é possível reciclar latas de tinta e de combustíveis, grampos, pilhas ou esponjas de aço.

E antes de descartar os metais, o ideal é amassá-los ou prensá-los. Essa simples atitude facilita o armazenamento e evita acidentes.

Na imagem é possível ver a mão de uma pessoa branca segurando algumas pilhas em cima da boca de um cesto amarelo. No interior do cesto é possível visualizar alguns cabos e pilhas.
Pilhas e baterias devem ser descartadas nos ecopontos para evitar a exposição ao meio ambiente e danos à saúde das pessoas.

Como reciclar corretamente o lixo em casa

Adotar o hábito da reciclagem em casa é um dos passos para ter uma vida mais sustentável.

Para contribuir para diminuição do impacto ambiental é necessário seguir algumas dicas para separar e descartar corretamente todos os tipos de materiais reciclados.

Para auxiliar na separação do lixo, seja em casa ou em outros lugares, você pode utilizar lixeiras coloridas.

Como cada cor se refere a um tipo de material. Deste modo, o descarte fica prático e organizado.

Pensando em te ajudar nessa tarefa, a Astra possui cinco modelos diferentes de lixeiras. Atualmente, elas estão disponíveis em cinco cores da coleta seletiva e possuem duas opções de capacidade: 60 ou 100 litros.

E se você tem pouco espaço em casa ou no apartamento, pode optar por lixeiras coloridas menores. 

Outra alternativa para esses casos é optar por lixeiras comuns, com cores neutras, e colocar apenas uma etiqueta para identificar o local certo de descarte de cada material.

E se você está buscando uma solução prática para reciclar, pode contar com a lixeira ecológica da Astra.

Ela possibilita colocar dois sacos de lixo ao mesmo tempo. Assim, fica fácil separar o lixo orgânico do reciclável, sem deixar o saquinho aparente.

Na foto é possível visualizar uma lixeira da Astra vermelha. Sua tampa está aberta. Dentro dela há dois sacos de lixo, um branco e um preto.
As lixeiras ecológicas com pedal da Astra permitem separar o lixo orgânico do reciclável encaixando, simultaneamente, dois sacos plásticos em seu aro interno. 

Resíduos sólidos não recicláveis

Você sabia que alguns materiais não podem ser reciclados por motivos processuais ou impossibilidade de reutilização?

Porém, é importante descartá-los corretamente, pois o contato deles com o meio ambiente pode gerar contaminação da água ou do solo.

Esse é o caso de pilhas, baterias, radiografias, pneus, lixo hospitalar, entulho etc.

Ao invés de serem descartados no lixo comum, eles devem ser destinados em pontos de coleta específicos.

Dessa forma, é possível realizar o descarte correto e consciente desses objetos.

Outros materiais que não parecem ser recicláveis, como óleo e resíduos orgânicos, podem ser reutilizados para outros fins, sabia? 

O óleo usado, por exemplo, pode ser destinado a pontos de coleta para a produção de sabão.

E você pode utilizar resíduos orgânicos, como cascas de frutas e pó de café, para fazer compostagem em casa.

Ao aderir ao método, você reduz a quantidade de lixo orgânico destinada aos aterros sanitários e produz adubo natural.

A imagem mostra uma caixa de madeira que acomoda cascas coloridas de alimentos e capim.
Adotar o método da compostagem é uma alternativa para estimular a decomposição de materiais orgânicos e reduzir a quantidade de resíduos descartados nos aterros sanitários.

Processos de reciclagem utilizados atualmente

A reciclagem começa na separação correta dos resíduos gerados. Porém, os processos adotados para reaproveitar cada tipo de resíduo podem variar.

Entenda a seguir os principais tipos de reciclagem presentes no Brasil e como funcionam seus processos, para garantir que o material reciclável não acabe em um lixão a céu aberto.

Na imagem é possível ver uma mão que separa tampinhas de garrafa, provavelmente PET.
Separar diariamente os materiais recicláveis pode facilitar o trabalho nas estações de reaproveitamento dos materiais.

Reciclagem mecânica

Esse processo converte materiais depois do consumo em grãos. Assim, é possível utilizá-los posteriormente na produção de novos produtos.

Por meio desse tipo de reciclagem, os grânulos podem produzir sacos de lixo, solados, embalagens não alimentícias, entre outros.

Reciclagem energética

Por meio de incineração é possível transformar o resíduo em energia elétrica ou térmica.

No momento do procedimento, o lixo reciclável é queimado e transformado em resíduos gasosos, sólidos e em energia.

Essa é uma alternativa ambientalmente viável, pois as indústrias retém a emissão de gases poluentes por meio de catalisadores.

Reciclagem química

Esse é um tipo de reciclagem mais complexa. Nele, os resíduos voltam a ser processados para serem reutilizados como matéria-prima ou como insumo básico para a produção de novos produtos plásticos.

Em relação aos outros tipos de reciclagem, esse é um processo mais caro e exige uma grande quantidade de resíduos.

Reduzir, reciclar e reutilizar ajuda o meio ambiente

Em 2019, com intuito de contribuir para o meio ambiente, a Astra lançou a versão sustentável de alguns de seus produtos que compõem a linha de utilidades domésticas.

Esses produtos possuem as mesmas características da versão tradicional, mas com um diferencial: são feitos com material reutilizado de processos produtivos da Astra.

Essa ideia não compromete a qualidade dos produtos e contribui para o reaproveitamento de materiais, já que os resíduos retornam à cadeia produtiva.

Gostou da iniciativa e quer contribuir para o meio ambiente com produtos sustentáveis na sua casa? Confira a nossa linha completa de utilidades domésticas!