A imagem mostra o panorama interno de um banheiro bem decorado, com piso de aspecto cimentado, parede revestida com peças brancas e uma faixa de azulejos vermelhos. Da esquerda para a direita, é possível observar parcialmente uma pia de vidro, um balde de lixo de aço inox ao chão, uma papeleira prata com papel higiênico, um vaso sanitário que possui uma caixa de descarga baixa acoplada, além do box da área de banho, onde uma prateleira sustenta quatro produtos de higiene.

Escolher um sistema de descarga de banheiro é um passo fundamental na hora de construir ou reformar o ambiente. Mesmo que pareça uma tarefa fácil, é preciso prestar atenção em alguns detalhes para não ter dor de cabeça mais tarde. 

Esses sistemas são compostos por um vaso sanitário e um aparelho de descarga, que libera a água para a limpeza da louça. No sentido funcional, todos os modelos cumprem seu papel de limpar completamente o sanitário e enviar os dejetos para o esgoto.

No entanto, os diversos sistemas para descarga de banheiro disponíveis no mercado possuem diferentes mecanismos técnicos e de manutenção, que podem influenciar diretamente em aspectos como o consumo de água.

Para escolher o sistema ideal, é preciso ter em vista esses elementos, o fluxo de utilização do banheiro, seu tamanho, as instalações hidráulicas e até a composição estética do ambiente.

Neste texto você verá:

Quer saber qual sistema de descarga de banheiro é o ideal para sua casa? Confira a seguir as principais diferenças e indicações sobre os modelos!

Válvula de descarga na parede

Um dos sistemas de descarga de banheiro mais comuns é o de válvula instalada na parede. É quando o vaso sanitário é um item isolado, e a descarga não possui mecanismos expostos.

Como todos os encanamentos e acessórios estão ocultos, pode ser considerada uma opção mais elegante, dependendo do ambiente e do seu gosto estético.

Nesse modelo, a descarga do banheiro é acionada manualmente. A válvula funciona acoplada a um cano que fica dentro da parede do banheiro, fechando a passagem de água conforme o acionamento da mola. 

Esse cano conecta uma extremidade à caixa d’água e a outra ao vaso sanitário.

É um sistema que pode induzir ao desperdício e contas mais altas ao fim do mês, pois dá autonomia ao usuário para controlar o fluxo de água.

Por ser embutido, outro ponto negativo é a manutenção. Dependendo da gravidade da situação, pode causar danos consideráveis ao banheiro, ainda mais considerando que boa parte desses cômodos são revestidos. 

Já em casos mais simples, como pequenos vazamentos, a manutenção pode ser feita diretamente na válvula, com uso de ferramentas apropriadas.

Para sua instalação, é necessária uma tubulação independente, que venha diretamente da caixa d’água. Essa característica faz com que a descarga do banheiro tenha uma pressão mais elevada, promovendo limpeza mais eficiente.

As válvulas de descarga da Astra possuem acabamento cromado ou pigmentado. Elas também têm o corpo em plástico, o que proporciona maior vida útil ao produto, além de reduzir a necessidade de manutenção.

Caixa acoplada ao vaso sanitário

 A imagem mostra uma mão feminina pressionando o botão de descarga de um sistema de caixa acoplada. Só existem elementos brancos na imagem: as paredes, a peça de cerâmica, um porta-sabonete líquido, e, parcialmente, uma parte da pia.
Atualmente, a caixa acoplada ao vaso sanitário é um dos produtos mais procurados para construção de banheiros. 

Nesse sistema, a caixa acoplada ao vaso armazena a água, portanto ela possui um botão para acionamento da descarga.

Por sua instalação ser simples, ela não exige gastos extras ou danos no cômodo, por isso é um dos modelos de descarga de banheiro mais procurados hoje em dia. 

Sua manutenção segue os mesmos moldes. Como os mecanismos são externos e acessíveis, é possível fazer a reparação apenas substituindo a peça que causou o problema.

Diferente das válvulas na parede, as caixas acopladas trabalham com um volume fixo de água, que padroniza o gasto com as descargas. Portanto, é considerada uma opção bem mais econômica.

Para ter uma ideia, o site da Sabesp aponta que uma descarga da caixa acoplada pode consumir até 6 litros de água, enquanto a válvula usa em média de 12 litros.

Além disso, é possível encontrar modelos com acionadores duplos, que permitem liberar diferentes quantidades de água para dejetos líquidos e sólidos. 
Esse é o caso da caixa acoplada aqui da Astra, disponível tanto na versão simples como de descarga dupla, que possibilita redução do consumo de água e maior economia na conta no fim do mês.

Caixa de descarga baixa

A imagem mostra um vaso sanitário com uma caixa baixa instalada, e também um papeleiro prata abastecido com um rolo de papel higiênico.
Economia e praticidade são sinônimos da caixa de descarga baixa.

Esteticamente semelhantes ao sistema de caixa acoplada, as caixas de descarga baixa são sistemas menos conhecidos, porém igualmente econômicos e de manutenção simples.

O modelo fabricado aqui na Astra também traz a funcionalidade do mecanismo de duplo acionamento e está disponível nas cores branca, bege e cinza.

A grande vantagem desse produto é que ele pode ser usado para transformar sua descarga de banheiro de um sistema tradicional para um mais sustentável, com uma instalação acessível e bem prática.

Mais detalhes sobre esse procedimento, você confere no tópico economia de água, ao final do conteúdo!

Caixa de descarga alta

A imagem mostra uma caixa de descarga alta inteiramente branca, posicionada na parte superior de uma parede com pisos bege e azulejos decorativos.
O sistema da caixa de descarga alta é o mais comum em banheiros improvisados ou temporários.

Também conhecido como caixa elevada e descarga de cordinha, esse sistema é uma solução prática para banheiros que não possuem instalações apropriadas.

Justamente por não exigir canos ou tubulações preexistentes, é o meio de descarga mais utilizado em ambientes provisórios, como os banheiros construídos em obras e em áreas externas, como em fazendas e piscinas.

Esse sistema possui uma funcionalidade semelhante ao da caixa baixa. A diferença está na posição elevada do recipiente  e no mecanismo de acionamento, que nesse caso é através de uma cordinha.

Por deixar o sistema totalmente exposto, é a opção mais desfavorecida esteticamente. Além de emitir um barulho um pouco mais alto ao acionar a descarga, quando comparado com outros sistemas de descarga. 

No entanto, dentre todos os outros, é o sistema mais barato de descarga para banheiro. Assim pode ser ainda mais vantajoso que outros mecanismos, considerando sua baixa necessidade de manutenção.

A caixa elevada também conta com regulagem ajustável, o que favorece a economia. Você pode ajustar o volume da descarga para 6,8 ou 9 litros. 

Aqui na Astra, ela está disponível em diversas cores. Assim você consegue escolher o modelo perfeito para compor seu banheiro. 

Como escolher a melhor descarga para o banheiro?

Agora que já conhece os principais sistemas de descarga, chegou a hora de avaliar qual modelo se encaixa melhor no seu banheiro. Para isso, é preciso definir qual aspecto é mais importante para você. 

Conheça alguns deles abaixo!

Economia de água

Se seu objetivo é ter economia de consumo, o ideal é escolher um sistema que ofereça o mecanismo de dupla descarga, como a caixa acoplada ou a caixa baixa.

Como já mencionado, ele ajuda a reduzir os gastos com água no banheiro.

No Simulador de Mecanismo Duplo de Descargas da Astra, você pode simular a economia de água e dinheiro que será proporcionada ao trocar sua descarga tradicional por uma com mecanismo duplo.

Porém, caso seu banheiro já possua um sistema de válvula instalado, não precisa se preocupar. É possível convertê-lo com o conversor de descarga da Astra, item bem prático que permite a adaptação sem necessidade de reforma.

Para realizá-lo adequadamente e sem medo de errar, basta conferir o guia completo em nosso site.

Pressão da água

Outro ponto importante para observar na hora de escolher o melhor sistema de descarga de banheiro é a pressão da água na sua casa. Isso vai variar conforme o lugar em que você mora, se é uma residência urbana, chácara ou apartamento. 

Se o ambiente possuir um bom nível de pressão, é provável que ele possa comportar qualquer um dos sistemas. Se não, é preciso se atentar às particularidades de cada modelo.

Para a válvula de descarga, por exemplo, a baixa pressão resultará em uma diminuição do arraste, gerando um tempo de acionamento maior, consequentemente, um maior desperdício.

Já nos sistemas de caixa, o armazenamento de água será mais lento. No entanto, acabam sendo uma opção melhor, pois possuem recursos de instalação para solucionar o problema.

Para melhorar a pressão da descarga nesses casos, deve-se aumentar o nível da água na caixa acoplada, com uma regulagem do mecanismo de entrada, ou vale até considerar a instalação de pressurizadores de água.

Fluxo de utilização e manutenção 

O aspecto da manutenção pode ser definido conforme o fluxo de utilização da descarga no banheiro, ou seja, pela quantidade de pessoas que vão fazer uso dele.

Em ambientes com muitos moradores, por exemplo, é aconselhável o uso de caixas que tenham manutenção simples e com volume fixo de descarga, para economizar mais água.

Portanto, o sistema de válvula deve ser sua última opção nesse cenário. Além dele, desconsidere também o sistema com caixa alta, não muito resistente e desaconselhável em banheiros para uso contínuo.

Por outro lado, as caixas acopladas e baixas, por terem mecanismos externos, possuem uma manutenção facilitada. 

Em muitos casos, nem é necessária visita técnica para solucionar o problema, e mesmo quando existe essa necessidade, o problema é resolvido em pouco tempo.

Estética e funcionalidade do banheiro

Os sistemas de descarga podem promover diferentes arranjos estéticos no seu banheiro e alterar a composição do local. 

Se você deseja um modelo discreto, por exemplo, a caixa alta está fora de cogitação, restando-lhe as outras três opções. Além disso, o modelo pode ser inviável em ambientes onde circulam crianças ou pessoas baixas.

Caso sua prioridade seja um ambiente harmônico visualmente, a caixa acoplada é a melhor escolha. A peça combina perfeitamente com o vaso e favorece a criação de um padrão decorativo.

Sua escolha estética depende muito do seu gosto pessoal, mas lembre-se de não considerar somente esse aspecto. 

O ideal é alinhar o atributo decorativo com os outros tópicos mencionados, principalmente visando a funcionalidade, para ter uma decisão mais assertiva.

E por falar em funcionalidade, nesse outro conteúdo você encontra algumas dicas de como fazer seu banheiro mais acessível para crianças. Vale a pena conferir!