Na foto, uma cozinha com armários em madeira na cor branco.
Armários de cozinha, os primeiros produtos da marcenaria da Astra

Tons pastel, estampas, cheirinho de comida predileta, esses são detalhes que criam uma memória afetiva da típica casa de vó.

Os dias na casa de nossos avós têm um lugar especial na memória, já que cada cantinho da casa foi pensado para garantir o aconchego da família.

Desde os revestimentos até a disposição dos cômodos e peças decorativas, caracterizam os lares típicos da maioria dos avós brasileiros.

E ainda, o melhor de tudo, a casa deles sempre será mais legal do que a nossa própria casa.

Casa de vó

As casas antigas, como a de nossos avós, também ajudam a contar a história da evolução da arquitetura, principalmente de bairros mais antigos, você sabia?

Algumas características do imóvel revelam o olhar arquitetônico típico de décadas passadas.

Geralmente, essas casas não possuíam o recuo da calçada, eram construídas rentes a rua.

Porém, com a evolução dos centros urbanos, foi necessário criar o recuo mínimo para a passagem dos pedestres.

Além disso, essas residências eram construídas no meio do terreno, o que permitia ter espaço livre na parte frontal da casa e quintal para inserção de jardins, plantas e peças decorativas.

Na foto, uma criança brinca com uma ave e um duende, provavelmente de cerâmica, que estão enfeitando o jardim. Atrás dela é possível ver plantas.
Bonecos de cerâmica enfeitavam os jardins dos vovôs e vovós.

As paredes dessas moradias mais antigas eram de taipa de pilão, já que os tijolos de cerâmica e concreto ainda estavam ganhando espaço na construção civil.

Já o telhado, que antes levava o forro de madeira, hoje já foi substituído por lajes de concreto.

Ainda, os materiais utilizados para compor essas casas eram muito característicos, como revestimentos coloridos e assoalho, portas e janelas de madeira.

Diferente das arquiteturas modernas, que já englobam itens com mais conforto e novas noções estéticas ao espaço, permitindo a criação de novos estilos decorativos.

Cômodos da casa

Memórias da infância vão diretamente aos lares dos nossos avós, com as decorações excêntricas, móveis antigos e itens peculiares.

Para celebrar a data dedicada a eles, listamos alguns itens da Astra que com certeza sua avó tinha ou ainda tem nos cômodos da casa.

Confira a seguir e viaje no tempo:

Cozinha

Esse é, sem dúvidas, o cômodo mais recheado de itens com cara de casa de vó.

Aquela vó boleira de mão cheia, limpava e organizava sua cozinha com todo cuidado para preparar tudo com muito carinho.

Nele, todos os itens possuem uma capa: capa para botijão de gás, filtro de água, fogão e liquidificador, não é?

Potes, marmitas plásticas, taças coloridas para a festa, são alguns dos itens de cozinha que a Astra pensou para deixar a rotina da cozinha da sua vó mais fácil.

Em outubro de 1991, a Astra lançou o girapotes, um produto prático e funcional que virou febre entre as vovós.

Ele armazenava os alimentos  secos, como farinhas, café, açúcar, arroz e outros em um mesmo local, economizando espaço na cozinha.

Na foto, ma mão feminina retira um dos potes marrons do girapotes.
Prático e funcional, o girapotes não poderia faltar na hora de organizar a cozinha das vovós.

Na cozinha, armários de madeira, geladeira, fogão e outros eletrodomésticos sempre combinavam, criando características cheias de raízes.

Estão nesse cômodo os segredos dos pratos mais gostosos que a vovó preparava ou ainda prepara.

Sala

Fotos dos netos não podiam faltar nesse cômodo da casa, principalmente para as vovós corujas.

A televisão de tubo sempre marcando presença em cima de um rack de madeira maciça, para assistir todas as novelas e jornais.

Ainda, o sofá estampada dava um toque super aconchegante no ambiente, não acham?

Quarto

Essa parte da casa dedicada à privacidade e independência, sem dúvidas era o ambiente com mais cara de vó.

Lençóis, fronhas e colchas com estampas floridas deixam o enxoval do cômodo completo.

Ainda, fundamental para deixar os quartos da casa de vó bem arrumados, sem roupas espalhadas pelo chão, o roupeiro era indispensável.

Na foto, três roupeiros de madeira da Astra. Ambos possuem uma flor como detalhe.
Os primeiros roupeiros Astra são características marcantes da empresa

No quarto, a versão em madeira duratex, produzida em três tamanhos diferentes, auxiliava no armazenamento de roupas, lençóis e toalhas, limpos ou sujos.

Banheiro

O banheiro de casa de vó é sempre muito característico, né? Azulejos e pisos florais e geométricos incrementavam a decoração, hoje considerada retrô.

As louças, como pia, bidê e vaso sanitário sempre eram combinadas nas cores sóbrias (caramelo, cinza, marrom, rosa ou bege).

Na foto, cinco assentos estampados.
Assentos sanitários estampados marcaram gerações.

Mais cara de vó do que os assentos sanitários com tampa decorada, impossível!

As opções dos tons pastel com estampa davam um toque charmoso ao banheiro.

Os banheiros da casa com certeza tinham a famosa caixa de descarga com cordinha que as crianças tinham dificuldade para puxar.

Com cores sortidas, as caixas abriam um leque de oportunidades na decoração dos banheiros, já que combinavam com o azulejo.

Na foto, o típico banheiro de casa de vó. Com azulejos estampados, o banheiro possui vaso sanitário, caixa acoplada, pia, banqueta e banheira na cor marrom.
O banheiro com cara de casa de vó tem todos os itens combinando.

Para os banheiros luxuosos de vovós, banheiras relaxantes estavam à disposição para um banho de espuma.

Diferente dos quartos, nos banheiros havia o roupeiro ‘enrrugadinho’. Produzido em plástico, era resistente à umidade do ambiente.

Além disso, os armários de madeira e, para os avós mais moderninhos, o de perfil de alumínio, possuíam espaço interno, para guardar os produtos de higiene e deixar fora do alcance das crianças.

Sem contar o pronto socorro residencial, ideal para os avós montarem uma ‘farmacinha’ em casa para as pequenas emergências.

Lavanderia

Tudo nesse cômodo precisa funcionar de forma prática para o dia a dia, sem deixar a estética de lado, né?

Então, a Astra pensou exatamente nos vovôs e vovós donos de casa para desenvolver baldes e bacias que facilitariam o dia a dia.

Como o “balde tina”, disponível em diversos tamanhos e cores, possuía em sua borda um esfregador, semelhante ao dos tanques.

Além disso, concentrou em sua linha a produção de tanques de lavar roupas resistentes, que ajudariam no processo de limpeza das peças.

Na foto, uma criança  está pendura em um tanque de lavar roupa azul da Astra, para mostrar sua resistência. O tanque está pendurado em uma parede com azulejos bege com detalhes azul.
Nos anos 80, os tanques da Astra já eram bem resistente.

Quintal

No recuo, entre muro e casa, existia um jardim, sempre muito bem cuidado, com aquelas plantas da vovó.

Eles eram regados com o famoso Regador Girafa da Astra, peça ideal facilitar a manutenção e conservação do jardim.

Na casa das avós com um pouco mais de espaço não podiam faltar os móveis para piscina Astra.

Unindo a nobreza da imbuia à beleza e a resistência, era possível ter nos terraços e jardim o móvel perfeito para ambientação e decoração.

Na foto, uma piscina azul está no meio de um quintal. Nela, duas crianças brincam. Ao fundo, um jardim repleto de plantas e flores.
A piscina infantil era um excelente atrativo para os netinhos nos dias mais quentes.

Além da piscina infantil, fabricada em fibra de vidro, ela poderia ser instalada ou ficar sobre o piso.

Esse produto continha um escorregador para os netinhos se divertirem.

Mesmo longe, não deixe o Dia dos Avós, 26 de junho, passar em branco!

Se a sua vó tinha uma dessas peças em casa e você deseja recordar, que tal assistir a seguir um vídeo do Museu Astra que disponibiliza esses e outros produtos para visitação.