O sistema elétrico é uma das partes essenciais do projeto de uma casa e merece muita atenção antes e durante seu funcionamento.

As gambiarras elétricas presentes em muitas residências, além de prejudicarem a eficiência dos equipamentos, comprometem a segurança do imóvel e dos seus moradores.

Elas podem causar quedas de energia, curtos, choques, danos, mau funcionamento dos equipamentos elétricos e gastos desnecessários.

Segundo o anuário divulgado pela Abracopel – Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade, foram 1.502 acidentes de origem elétrica registrados em 2020, sendo 764 fatais.

A maioria das mortes, 853 casos, aconteceram devido a choques elétricos. Seguidos de 47 mortes por acidentes com descargas atmosféricas.

Além de 26 mortes provocadas por incêndios de sobrecarga de energia (curto-circuito)

A maior parte dos choques elétricos acontece em residências, sejam em casas, sítios, fazendas, ou apartamentos.

A falta de informação e o desconhecimento dos riscos fazem com que os acidentes e fatalidades aconteçam.

Confira abaixo algumas atitudes perigosas que você deve evitar na sua casa:

Sobrecarregar tomadas com benjamins ou réguas

O famoso T ou as réguas podem ser um “quebra galho” quando não se tem muitas tomadas por perto.

Porém, ligar muitos aparelhos de uma só vez por meio desses adaptadores sobrecarrega a tomada e aumenta o risco de curto e incêndio.

Deixar fios soltos

Fios e extensões espalhados por cômodos, além de facilitar quedas, podem provocar choques e incêndios quando a parte de cobre está exposta.

O sistema elétrico da sua casa não pode ter fios soltos, pois pode provocar choques.

Emendar fios com fita isolante

É necessário fazer uma revisão da rede elétrica de sua residência a cada cinco anos.

Cabos mal dimensionados

O mau dimensionamento pode gerar deficiência nas instalações e até mesmo incêndio, pois acaba aquecendo os cabos e eletrodutos (conduítes) que podem derreter.

Os cabos e fios passam a trabalhar sobrecarregados em função do aumento de equipamentos elétricos e eletrônicos.

Excesso de cabos no eletroduto

entupir um eletroduto (conduíte) com muitos cabos para economizar dinheiro é muito comum, mas saiba que o risco de incêndio é grande.

É necessário deixar espaço para circulação de calor nos eletrodutos, caso contrário os fios superaquecem.

A imagem mostra um sistema elétrico. Eletroduto amarelo com fios dentro.

Prender o disjuntor para que ele não desarme

O disjuntor é um dispositivo de segurança que desarma toda vez que sua capacidade é ultrapassada.

Dessa forma, prender para que ele não desarme pode ser uma porta de entrada para incêndios.

Espessura e qualidade dos fios

Não respeitar a espessura mínima dos fios exigida pela ABNT para ter menos gastos, faz com que instalação não suporte a corrente consumida pelos aparelhos e lâmpadas da residência.

Isso pode levar a superaquecimento dos fios, desperdício de energia e riscos de acidentes.

Emendar o eletroduto

Deixar as uniões de eletrodutos de lado e optar por arames ou outros tipos de emendas pode prejudicar a fiação.

Na etapa da concretagem, se os fios não estiverem presos e estáveis no eletroduto serão prejudicados.  

Lembrando que uma instalação elétrica revisada garante maior segurança e menos problemas.

Para saber quando a fazer manutenção elétrica no seu lar, confira Manutenção elétrica: quando realizá-la para evitar gastos, no Blog Astra